Uma Breve História da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética.

Foi em 16 de Abril de 1961, que um grupo de 12 Cirurgiões, propôs á prestigiada e centenária Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa (SCML), a criação de uma nova secção, autónoma, que representasse os poucos Cirurgiões Plásticos que existiam então em Portugal. A SPCPRE, aprovada por unanimidade em 18 de Abril 1961, elegeu o seu primeiro Conselho Diretivo em 2 Maio seguinte que tinha a seguinte composição: (Presidente – Carlos Elias da Costa; Secretário Geral- Elias Damião Pires e Secretário Adjunto António Pinto Teixeira).

Os seus membros fundadores, eram cirurgiões que, tendo-se interessado pela Cirurgia Plástica e Reconstrutiva, provinham de outras especialidades como a Estomatologia e Cirurgia oral e maxilo Facial, a Cirurgia Geral, a ORL (ENT) a Cirurgia Pediátrica, a Cirurgia da cabeça e do Pescoço e a Ortopedia, muitos dos quais tinham procurado, nos anos 50, no período do pós II Guerra Mundial, formação de Cirurgia Plástica nos EUA, em Inglaterra (R.U.) ou a França, países para onde acorriam cirurgiões de todo o mundo, procurando conhecimentos na área da emergente nova Especialidade.

Nomes ilustres da Cirurgia Plástica Portuguesa, com A. Baptista Fernandes, Elias Damião Pires, Guimarães e Sousa, A. Gentil Martins, entre outros, estão na origem da criação de nossa Sociedade.

A Primeira Reunião científica da SPCPRE ocorreu em Lisboa a 18 junho 1961 tendo como convidado o Prof. Ivo Pitanguy. Desde então, a SPCPRE tem organizado, múltiplos eventos científicos, e desde 1971 a sua Reunião Anual, tradicionalmente no mês de Outubro.

O primeiro Serviço Hospitalar de Cirurgia Plástica, foi criado em 1960, na cidade do Porto, no Hospital de St. António, tendo como diretor Guimarães e Sousa. Em 1965 A. Baptista Fernandes cria o primeiro núcleo de Cirurgia Plástica do Hospital de St. Maria, o maior Hospital Universitário de Lisboa, inicialmente com a designação de Serviço de Estomatologia e Cirurgia Maxilo-Facial. Seguir-se-ia no final dos anos 60 e durante a década de 70, o aparecimento de outros Serviços nas cidades de Lisboa, Porto e Coimbra, ligados aos hospitais Universitários, mas também aos grandes Hospitais Civis. (Em Lisboa nos HCL-Hospital de S. José com Damião Pires ; Hospital de Egas Moniz com J. Boleo Tome. Em Coimbra nos Hospitais da Universidade – HUC com Veiga Vieira. No Porto no Hospital Universitário de S. João com Flávio Guimarães; Hospital da Prelada com Antonello Ferraro)

Durante a Guerra Colonial Portuguesa, (1960-1974) nos Hospitais Militares de Lisboa houve um grande avanço no tratamento de doentes queimados e com graves ferimentos de guerra. Para além de jovens cirurgiões plásticos, muitos outros profissionais não militares deram o seu contributo para a grande atividade que se desenvolvia no Hospital militar Principal de Lisboa, durante esses anos de Guerra. Hoje em dia, os Hospitais Militares Portugueses, em Lisboa e no Porto, têm também Serviços de Cirurgia Plástica.

Existem atualmente cinco Unidades de Queimados em Portugal (2 em Lisboa, 1 em Coimbra e 2 no Porto). Existe ainda uma unidade de tratamento de Crianças queimadas da responsabilidade do Hospital Pediátrico de Lisboa.

Os anos 80 do Sec.XX marcam o início da difusão de Serviços da Especialidade de CPRE pelas cidades capitais distritais, até aí apenas existentes nas três principais Cidades Portuguesas. Atualmente existem 26 (Serviços e pequenos núcleos) de CPRE em Portugal, dos quais 16 em Hospitais Distritais, proporcionando ao país uma ampla cobertura da especialidade.

Muitos Cirurgiões Plásticos trabalham em Hospitais de grandes Companhias Seguradoras e em Hospitais Privados

Também a reestruturação dos internatos e da formação de novos especialistas se fez nesses anos da década de oitenta.

A formação em Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética em Portugal consta de seis anos de Internato, em centros de referência e idoneidade, incluem múltiplos estágios nas várias áreas da Especialidade e os títulos são concedidos após rigorosa avaliação contínua e um exame final com um júri nacional.

Embora a Cirurgia Maxilo-Facial se tenha autonomizado como especialidade em Portugal, continua a fazer parte do curriculum de Cirurgia Plástica e é praticada por cirurgiões Plásticos, sobretudo nos grandes Hospitais. (Serviços de Urgência e Cirurgia Programada)

A Cirurgia da Mão é outra área que se mantém no âmbito da Cirurgia Plástica e cuja aprendizagem faz parte da formação e dos Curriculae da Especialidade. A Cirurgia da Mão é praticada também por Ortopedistas, que em conjunto com os Cirurgiões Plásticos alternam na Direção da Sociedade Portuguesa de Cirurgia da Mão (SPOCMA).

A Sociedade Portuguesa de CPRE desde a sua criação que tem por missão estreitar a confraternização dos Cirurgiões Plásticos Portugueses entre si e com os seus colegas de outras nacionalidades, estimular o estudo da Especialidade, promove também um Programa Nacional de Formação pós graduada, anual e destinada sobretudo a residentes que inclui 4 módulos de 1 dia cada (Cirª. Mão, Cirª. Estética; tratamento de Queimados e Cirª. Da Cabeça e Pescoço)

Este ano de 2011, realizar-se-á a 41º Reunião Anual da SPCPRE, que como habitualmente se realizará em Outubro, neste ano na Cidade do Porto e contará com a presença de vários convidados Nacionais e também de convidados Estrangeiros, especialistas de renome internacional cuja participação muito honra os Cirurgiões Portugueses.

A organização de Cursos, Conferências, Simpósios e a realização da sua Reunião anual são atividades da nossa sociedade que mantém um fraternal relacionamento com inúmeras Sociedades Internacionais, onde está representada. Ao longo dos anos a SPCPRE fez-se representar, ou foi convidada a participar em inúmeras Reuniões internacionais, algumas realizadas em Portugal, co-organizadas pela SPCPRE.

Um apelo constante ao cumprimento das normas de Ética e o dos Códigos deontológicos entre os seu sócios são também uma preocupação da SPCPRE.

Além da Direção da Sociedade eleita em assembleia geral por períodos de dois anos, (Presidente; 2 Vice Presidentes; Secretário Geral, Secretário Adjunto e Tesoureiro) a SPCPRE conta com um Conselho Consultivo permanente, constituído por todos os anteriores Presidentes. (O autor destas linhas é o 17º Presidente da SPCPRE). Cada Direção convida um conjunto de Especialistas das várias áreas da especialidade (vogais dos Capítulos) que durante a sua vigência deverão propor atividades e dinamizar as respetivas áreas. (Cirurgia da Mão; Cirurgia Estética; Cirurgia Maxilo e Crâneo Maxilo Facial; Queimados; Cirurgia Plástica oncológica).

A SPCPRE tem, no seu conjunto, entre todas as categorias de Sócios um total de 180 associados. É uma pequena sociedade, mas que tem sabido prestigiar a Cirurgia Plástica e Reconstrutiva e merecer reconhecimento da Comunidade Médica Portuguesa.

Neste ano do Cinquentenário da SPCPRE, que os cirurgiões Plásticos comemorarão com diversas iniciativas, desejo, como Presidente saudar fraternalmente todos os cirurgiões plásticos que integram a a nossa Sociedade.

— F. Ribeiro de Carvalho

 

16 de Abril de 1961

Proposta á direção da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa (SCML) a criação da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva (SPCPR).

 

18 de Abril de 1961

Aprovada por unanimidade a criação da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva em Assembleia Geral da SCML (14ª. Sessão Ordinária, presidida por Cândido de Oliveira).

 

2 de Maio de 1961

Reunião dos subscritores da proposta para a criação da SPCPR para eleição do 1º. Conselho de Direção e que ficou assim constituído :

Presidente – Carlos Elias da Costa

Secretário Geral – Elias Damião Pires

Secretário Adjunto – António Pinto Teixeira

Discutido e aprovado o Regulamento Privativo

 

18 de Junho de 1961

Sessão inaugural da atividade científica da SPCPR presidida por Jaime Celestino da Costa (Vice – presidente da SCML), com a presença de Ivo Pitanguy e na qual tomou posse o 1º. Presidente da SPCPR – Carlos Elias da Costa.

 

Membros fundadores

  • Carlos Elias da Costa
  • Elias Damião Pires
  • António Pinto Teixeira
  • Álvaro Manuel Guimarães e Sousa
  • António Maria Baptista Fernandes
  • António Gentil da Silva Martins
  • Fernando Gabriel Pinto Coelho Afonso
  • Francisco Gentil da Silva Martins
  • João Manuel Bastos Monteiro de Sacadura
  • Arménio Dias de Carvalho
  • Fernando Amado de Oliveira Pinto
  • José Filipe de Lima Salreta

 Emblema da SPCPRE:         O  belo emblema da nossa Sociedade é da autoria da

                                              Senhora Dª. Maria Guilhermina Ivens Ferraz Jardim

Login